Nº de mortes por armas de fogo na BA mais que dobrou entre 2006 e 2016; estado lidera ranking nacional

O número de mortes por arma de fogo na Bahia mais que dobrou entre 2006 e 2016, segundo o Atlas da Violência, pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgados nesta terça-feira (5). Em números absolutos, o estado lidera o ranking nacional nesse tipo de ocorrência.

Taxa de homicídios na BA cresce quase 98% em 10 anos
BA é estado com maior nº mortes de jovens entre 15 e 29 anos desde 2009
Número de homicídios de mulheres na BA teve aumento de 81,5% em 10 anos
Nos dez anos analisados no levantamento, os registros de mortes por arma de fogo subiram 126,9% no estado. Em 2006, foram contabilizadas 2402 mortes, enquanto que em 2016 o número foi de 5449. As armas foram usadas por criminosos em 76% dos homicídios contabilizados no ano de 2016.

Em 2016, o estado ficou na frente do Rio de Janeiro (4019 mortes) e de Pernambuco (3475), que aparecem em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

Caso seja levado em consideração a taxa de homicídio cometido por pessoas que usaram armas de fogo, por 100 mil habitantes, a Bahia cai para o sexto lugar entre os estados do país. Em 2016, o estado ficou com taxa de 35,7 mortes por 100 mil habitantes, atrás de Alagoas (46,0), Pará (36,7), Pernambuco (36,9), Rio Grande do Norte (45,2) e Sergipe, que lidera o ranking com taxa de 55,6.

De 2006 a 2016, a taxa de homicídio cometido com arma de fogo por 100 mil habitantes teve aumento de 107,2% na Bahia -- saltou de 17,2 para 35,7.

A proporção de homicídios com arma de fogo no estado também cresceu em dez anos. Saiu de 73,1% em 2006 para 76,0% em 2016. G1BA

Informações Adicionais

Veja Baixa Grande