ONG ligada a presidente do TCU teria cometido fraude em convênio, diz Folha

Uma ONG com sede em Valente, região sisaleira da Bahia, e ligada ao presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Aroldo Cedraz, é acusada de fraude em convênio com o governo federal, informou a Folha nesta sexta-feira (31). Entre 2005 e 2011, a ONG Instituto de Desenvolvimento da Região do Sisal recebeu R$ 3,5 milhões por meio de convênios com o governo federal. Um desses contratos, no entanto, foi suspenso por irregularidades. Além de firmar um convênio de R$ 2,9 milhões com o Ministério do Trabalho para treinar trabalhadores do setor do petróleo no Ceará, o projeto foi suspenso por inconsistências. Mas ainda assim, a ONG recebeu R$ 884,7 mil. Em junho deste ano, a execução da primeira etapa do convênio teve as contas rejeitadas. Procurado pela reportagem, Aroldo Cedraz disse que não tem vínculo com a entidade nem relação com os convênios realizados.  Os representantes da ONG também afirmaram que não há irregularidades nos convênios. Eles declararam também que o ministro não beneficiou a ONG.

Informações Adicionais

Veja Baixa Grande