Família de criança com doença rara consegue liminar para suporte médico do estado e relata que decisão não foi cumprida

A família do menino de 1 ano e 10 meses, que nasceu com uma doença rara, conseguiu uma liminar na Justiça que obriga o Governo da Bahia a oferecer suporte médico à criança. No entanto, a família, que mora em Salvador, relatou que a decisão não foi cumprida.

Henrique Vianna dos Santos nasceu em agosto de 2018 com distrofia muscular congênita e tem dificuldades de ficar de pé e andar. O tratamento para melhorar a qualidade de vida dele, por enquanto, é feito em São Paulo e em Pernambuco.

A mãe do menino, Daniela Vianna começou uma campanha na internet para arrecadar dinheiro e conseguir comprar um andador para o filho, que custa R$ 18 mil. Ela está desempregada e conta com apoio de quem pode ajudar.

Daniela explicou ainda, que a liminar concedida, obriga o estado a oferecer suporte em fisioterapia motora e respiratória, terapia ocupacional, além de tratamento com uma equipe completa de reabilitação. O documento, assinado pela juíza Angela Barcelar Batista, no dia 11 de março, dava um prazo de 24 horas para que o estado cumprisse a decisão.

Segundo a Procuradoria, no dia 13 de setembro, foi prescrito o uso de cadeira de banho, no formato concha, e foi devidamente concedido para a criança no dia 24 de setembro. O órgão informou que, após o dia 28 de janeiro, a mãe não compareceu mais na unidade.

g1ba

Informações Adicionais

Veja Baixa Grande