Em cinco anos, denúncias de homicídios contra LGBTs cresceram 500% na Bahia

O número de denúncias de homicídios contra LGBTs teve um crescimento de 500% na Bahia, entre os anos de 2012 e 2017, segundo dados do Atlas da Violência, divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O levantamento leva em conta ligações feitas para o Disque 100, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). De acordo com os números, em 2012, foram feitas 3 denúncias. Já em 2017, o número saltou para 18 denúncias.

O maior crescimento ocorreu no último ano do levantamento, quando as denúncias mais que dobraram, já que, em 2016, havia apenas 7 casos registrados.

Segundo o levantamento, o estado ficou em quarto lugar no país, em 2017, sendo superado apenas por São Paulo (21 denúncias), Ceará (20) e Minas Gerais (19).

Em todo o Brasil, o crescimento foi de 127% entre 2016 e 2017, quando o número de denúncias passou de 85 para 193. Em 2011, eram apenas 5 casos.

Por outro lado, o número total de denúncias feitas caíram 20% em todo o país entre 2016 e 2017. A quantidade saiu de 91 para 72.

Os dados foram divulgados na quarta-feira (5). Além de casos contra LGBTs, o levantamento mostra vários outros aspectos sobre violência no país.

Segundo os dados, a Bahia foi o estado que registrou, em números absolutos, a maior quantidade de homicídios do Brasil no ano de 2017 (7.487 mortes). Homens, negros e jovens formam a maioria das vítimas.

g1ba

Informações Adicionais

Veja Baixa Grande